12 Hábitos Errados na Hora de Tomar o Medicamento

Porque é tão importante saber tomar o medicamento da forma correta?

Se tomamos o medicamento de forma errada podemos reduzir a eficácia ou até mesmo agravar possíveis efeitos adversos do medicamento, sem contar na possibilidade de desenvolver outros problemas de saúde ou até mesmo morrer porque tomamos o medicamento errado.

Daí a importância de sabermos como tomar, com o que tomar, e que hora tomar os medicamentos.
Para você entender um pouco mais o que significam as Vias de Administração e quais são as Formas Farmacêuticas para cada Via, esta tabelinha do meu post sobre Formas Farmacêuticas, exemplifica bem:

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
FORMAS FARMACÊUTICAS
Via oral (boca)
Comprimido, cápsula, pastilhas, drágeas, pós para reconstituição, gotas, xarope, solução oral, suspensão.
Via sublingual (debaixo da lingua)
Comprimidos sublinguais
Via parenteral (injetável)
Soluções e suspensões injetáveis
Via cutânea (pele)
Soluções tópicas, pomadas, cremes, loção, gel, adesivos.
Via nasal (nariz)
Spray e gotas nasais
Via oftálmica (olhos)
Colírios e pomadas oftálmicas
Via auricular (ouvidos)
Gotas auriculares ou otológicas e pomadas auriculares
Via pulmonar (respiração/aspirar)
Aerossol (bombinha)
Via vaginal (vagina)
Comprimidos vaginais, cremes, pomadas, óvulos.
Via retal (ânus)
Supositórios e enemas

Muitas pessoas erram na hora de tomar o seu medicamento seja por desconhecimento ou por descuido.

Será que você está tomando o seu medicamento da forma correta?

Existem muitos hábitos relacionados à forma de administração dos medicamentos que estão errados. Dessa forma os pacientes tomam atitudes que podem prejudicar sua ação e até causar danos ao organismo. A bula é o principal mecanismo de informação que o paciente tem à sua disposição para fazer bom uso do medicamento entretanto, sabemos que não é hábito da população brasileira ler bulas, seja por preguiça ou pela falta de conhecimento da importância desta ferramenta.

12 Hábitos Errados na Hora de Tomar o Medicamento

 

1- NÃO SEGUIR O TEMPO DE TRATAMENTO PRESCRITO

Muitas pessoas param de tomar o medicamento assim que os sintomas melhoram ou diminuem. Isso acontece muito com os Antibióticos que possuem tratamentos mais prolongados de no mínimo 5 ou 7 dias e até 14 ou 21 dias ou mais, em alguns casos específicos. Em geral, no segundo ou terceiro dia, os sintomas da infecção como febre, dores e a indisposição diminuem ou somem, aí a pessoa acha que se curou e para o tratamento. Este é o maior erro que a pessoa pode cometer em um tratamento com Antibiótico, pois o tratamento ainda não acabou. Com certeza ainda existem cepas de bactérias resistentes ao antibiótico no organismo da pessoa e, que numa próxima oportunidade, quando a imunidade da pessoa estiver baixa, essas bactérias vão se reproduzir, a pessoa vai ficar doente novamente e o primeiro Antibiótico (aquele que sobrou da receita que o médico deu e você achou que iria dar para aproveitar de novo), não vai resolver o problema.

Tomar o medicamento por mais tempo que o recomendado também pode causar problemas. Por exemplo, antinflamatórios como ibuprofeno e diclofenaco podem causar problemas para os rins e o fígado se você tomá-los por longo período sem critério e sem orientação do seu médico.

Portanto, siga corretamente o TEMPO de Tratamento e o HORÁRIO que o medicamento deve ser tomado.

2- NÃO OBEDECER OS HORÁRIOS CORRETOS PARA TOMAR O MEDICAMENTO

Tão importante quanto tomar o medicamento no tempo certo é tomar nos horários indicados. Vou te explicar porque:

Já escrevi aqui da importância de tomar o medicamento na hora correta e como o horário pode interferir no efeito do medicamento no organismo.

Leia: O que é Cronofarmacologia e Qual o Melhor Horário para Tomar os Medicamentos
Como Escolher os Horários para Tomar os Medicamentos

Os horários regulares que devemos tomar os medicamentos são importantes para cumprir a posologia. São os intervalos de tempo necessários para que a concentração plasmática do medicamento no organismo se mantenha dentro da janela terapêutica como você pode ver na imagem abaixo.

Se a pessoa deixa de tomar o medicamento na hora correta corre o risco de da concentração do medicamento ficar abaixo da Concentração Terapêutica Mínima, com isso perder sua eficácia.
Por isso fique atento ao horário correto de tomar o seu medicamento e se quiser saber mais sobre posologia acesse o nosso artigo: O que é Posologia?

3- TOMAR O MEDICAMENTO COM “LIQUIDOS COM SABOR”

Quando digo líquidos com sabor estou incluindo os SUCOS, LEITE, CHÁS, CAFÉ e REFRIGERANTES.

O líquido mais indicado para se tomar os medicamentos é a ÁGUA.  Isso porque muitos medicamentos têm seu efeito prejudicado, quando ingeridos com estes “líquidos com sabor”.
O leite, um dos mais indicados pela cultura popular e um dos mais utilizados para tomar medicamentos é um potencial vilão quando se trata de atrapalhar a absorção dos medicamentos, isso porque é um alimento complexo, de digestão lenta o que torna também lenta sua absorção.

Por isso, não se deve tomar medicamentos com sucos, leite, café, chás ou refrigerantes. Pois podem possuir proteínas ou outras substâncias em suas composições que podem se combinar com as moléculas do medicamento dificultando sua absorção ou até mesmo inibindo o efeito do medicamento no organismo. A este fenômeno podemos chamar de INTERAÇÃO MEDICAMENTO/ALIMENTO.

Para tomar os medicamentos com água, cerca de 200 ml (um copo), é uma boa quantidade, faz com que o estômago se esvazie mais rápido e o princípio ativo do medicamento chegue mais precocemente ao intestino, onde a maioria é realmente absorvida.

4- MISTURAR OS MEDICAMENTOS COM O ÁLCOOL

Tenho certeza que se você é Farmacêutico, Médico ou trabalha na área da saúde, algum conhecido ou parente seu já fez a famosa pergunta:

Posso tomar uma cervejinha neste fim de semana, estou tomando o remédio X?

A resposta padrão deve ser NÃO.
Para muitas pessoas, o álcool deve ser evitado apenas quando está tomando antibióticos.
Mas, na verdade, medicamento NUNCA deve ser tomado com bebidas alcoólicas.

Vejam alguns exemplos de interações do Álcool com Medicamentos que são muito prejudiciais:

  • Álcool x Analgésicos: com paracetamol, pode causar danos hepáticos graves; com aspirina (ou ácido acetilsalicílico-AAS) aumenta o risco de sangramento no estômago e no intestino, por aumentar a ação anti-agregante plaquetária do AAS;
  • Álcool x Anti-hipertensivos: pode gerar desmaios e arritmias cardíacas;
  • Álcool x Antidepressivos: pode potencializar o efeito do medicamento;
  • Álcool x Ansiolíticos (calmantes): pode provocar depressão do sistema nervoso central, parada respiratória e coma;
  • Álcool x Medicamentos para obesidade: pode gerar tontura e confusão mental;
  • Álcool x Antibióticos: reduz o efeito do antibiótico parcial ou totalmente dependendo da quantidade de álcool consumida.

A ingestão excessiva de álcool também pode inibir a ação da pílula anticoncepcional.

5- TOMAR O MEDICAMENTO COM O ESTÔMAGO CHEIO OU VAZIO?

Esta dúvida permeia muitas pessoas e muitos erros são cometidos quando o assunto é tomar o medicamento antes ou depois das refeições.
Já citei acima a possibilidade de Interação dos medicamentos com “líquidos com sabor” e com álcool, com alimentos não é diferente. Muitos alimentos também podem interagir com os medicamentos atrapalhando ou não seu efeito no organismo.

Então, o ideal é sempre ler a bula do medicamento onde, na maioria das vezes, contém a informação se podemos ou não tomar o medicamento com o estômago cheio ou não.

Algumas vezes o estômago cheio pode intervir na absorção ou metabolismo de um medicamento. Outras vezes o estômago cheio pode proteger a mucosa estomacal de irritação provocada pelo medicamento. Exemplo: cápsulas de gelatina dura irritam o estômago vazio.

Existem alguns medicamentos que devemos tomar com o estômago vazio e só podemos nos alimentar por volta de 2 horas depois de ter tomado.

Eu tomo um medicamento todos os dias pela manhã a Levotiroxina sódica, preciso acordar mais cedo uns 40 ou 50 min antes do meu horário normal para tomar a levotiroxina porque tenho que tomá-la em jejum e só posso me alimentar pelo menos meia hora depois de ter tomado o comprimido.

6- RETIRAR O CONTEÚDO DA CÁPSULA

Abrir o conteúdo da cápsula para ingerir apenas o pó na intenção de tornar o processo de deglutição mais simples é um erro gravíssimo. Dentre as várias funções das cápsulas algumas delas são as de proteger a mucosa da boca e do esôfago do contato com a medicação. As cápsulas também podem proteger os medicamentos do efeito ácido do nosso estômago, quando a substância que a compõe é sensível à acidez.

Portanto, não abra cápsulas de medicamentos!

CLIQUE AQUI E Ebook-Desvendando-os-segredos-do diabetes

7- TRITURAR O COMPRIMIDO PARA FACILITAR NA HORA DE ENGOLIR OU FRACIONAR O COMPRIMIDO PARA DIVIDIR A DOSE

Nenhuma das duas práticas é aconselhada apesar de serem muito comuns.
A maioria das pessoas acredita que ao cortar o comprimido ao meio vai para tomar a metade da dose original, tanto é que existem até utensílios para fazer o corte à venda no mercado. Partir o comprimido ao meio não garante que a divisão seja feita de forma igual. Uma metade pode ficar com menos princípio ativo do que a outra. Salvo quando os comprimidos possuem descrito na sua bula que podem ser partidos, neste caso irão apresentar aquela divisão em forma de um sulco (como se fosse uma ranhura) que vem de fábrica. Estes comprimidos pode ser partidos porque quando há esta ranhura significa que a indústria farmacêutica nos garante que o princípio ativo está distribuído uniformemente no comprimido.

As drágeas não devem, em hipótese nenhuma, serem partidas ao meio. Esta forma farmacêutica sólida é um tipo de comprimido que possui uma ou mais camadas de cobertura que servem para melhorar a deglutição, mascarar o sabor e até mesmo para proteger o medicamento do efeito ácido do estômago. Se removidas, ou seja, se a drágea for partida, o medicamento pode perder seu efeito.
Triturar o comprimido para facilitar na hora de engolir também é outro problema, porque pode-se perder princípio ativo neste processo e a pessoa não tomar toda a dose necessária ao tratamento. Se o comprimido for revestido também será outro problema. Por exemplo, se a pessoa precisa tomar um comprimido que tem um revestimento que protege da ação do ácido do estômago, para ser dissolvido só quando chegar no intestino, ao triturá-lo este revestimento é perdido. Quando a pessoa tomar o comprimido triturado, ao chegar no estômago o medicamento poderá perder seu efeito total ou parcialmente não exercendo assim, o efeito desejado.

Deve-se evitar ao máximo esta prática.
O ideal é obter a forma farmacêutica correta com a dosagem correta.

8- ENGOLIR COMPRIMIDOS SUB-LINGUAIS

Essa via de administração permite que a ação do medicamento seja mais rápida. Nada de engolir direto. Estes medicamentos foram feitos para dissolverem rapidamente debaixo da língua, portanto devem ser colocados lá e deixados até dissolverem por completo.

9- TOMAR VÁRIOS MEDICAMENTOS AO MESMO TEMPO

Mais uma vez venho falar das tais Interações Medicamentosas.  É muito importante que se você precisa fazer uso de mais de um medicamento procure se informar com o Farmacêutico, avise sempre o seu Médico de todos os medicamentos que você já toma antes de ele prescrever para você.

Tomar mais de um medicamento ao mesmo tempo pode acarretar interações entre eles no organismo. Um exemplo é o quando o efeito do Anticoncepcional é diminuído pelo uso concomitante com Antibióticos. Uma mulher que faz uso de anticoncepcional precisa tomar amoxicilina e não se previne de outra maneira pode acabar engravidando porque a amoxicilina diminui o efeito do anticoncepcional.

10- TOMAR MEDICAMENTOS VENCIDOS

O medicamento vencido não deve ser consumido, a indústria farmacêutica garante a qualidade, segurança e eficácia do medicamento até a data de vencimento. Após essa data, o medicamento começa a perder efeito, e não tem sua segurança garantida, podendo até fazer mal a quem tomar.

11- GUARDAR OS MEDICAMENTOS EM LOCAIS QUENTES E ÚMIDOS

Calor e umidade podem gerar contaminações, reações indesejadas e perda da concentração de princípios ativos. Muitas pessoas armazenam os medicamentos no armarinho do banheiro, em cima da geladeira na cozinha, esse hábito deve ser abolido.
Medicamentos não devem ser guardados juntamente a alimentos ou produtos e limpeza. Evitar exposição à luz.

Guardar os medicamentos de preferência em caixas plásticas em local seco e arejado, sempre em suas embalagens originais e com suas respectivas bulas. Dessa forma garante-se o acesso às informações do medicamento, como lote, data de validade, posologia e indicação.

Mantenha sempre os medicamentos longe do alcance de crianças e animais domésticos para evitar possíveis intoxicações.
Medicamentos que necessitam de refrigeração nunca devem ser guardados na porta das geladeiras, devido as grandes variações de temperatura e nem próximos ao congelador.

12- DESCARTAR NO LIXO COMUM

Na hora de jogar fora, procure as caixas coletoras disponibilizadas em farmácias, drogarias e postos de saúde. Se você descarta o seu medicamento no lixo ou dá descarga, expõe o meio-ambiente a contaminação por resíduos químicos. Estes resíduos químicos podem causar muitos danos ao meio ambiente pois não são removidos em lixões, aterros sanitários ou estações de tratamento de esgoto. Existem empresas especializadas em incinerar os resíduos químicos e de saúde gerados por estabelecimentos de saúde que recolhem os medicamentos descartados.

O ideal é sempre perguntar ao médico que prescreveu o medicamento como tomá-lo, perguntar ao farmacêutico na drogaria onde costuma comprá-lo. Ler a bula.

Se informe, mas não tome seu medicamento de forma errada. Porque ao invés de estar fazendo um bem para sua saúde você pode estar prejudicando-a ainda mais.

 

Para Complementar o Conteúdo:

Veja o Infográfico que fiz para este artigo
infografico_12_habitos_errados_na_hora_de_tomar_o_medicamento

4 COMENTÁRIOS

  1. Olavsou Enfermeira, trabakho no Ambulatorio de Geriatria e Gerontologia da UNIFESP, la a polifarmacia é muito utiluzada e isso no preocupa muito parabéns pelas publicações são esclarecedoras obrigado

    • Obrigada pelo seu comentário Regina,
      Fico feliz por gostar do conteúdo do blog.
      Temos que estar sempre atentos a não deixar que as pessoas façam mal uso dos medicamentos e sim estimular o seu Uso Racional!
      Seja sempre bem vinda ao FD.

Deixe o seu Comentário